Bolo de Earl Grey com Buttercream de Chocolate Branco

Foi aniversário da minha mamãe esta semana. Ela é a inspiração primária para o que a cozinha representa na minha vida. Seus livros e cadernos de receita permearam minha imaginação e faziam parte dos objetos de amor na infância. Ela fazia nossos bolos de aniversário, brigadeiro e outros docinhos. Gostava de passar o tempo cozinhando. E ainda hoje, aprende novas receitas, troca algumas comigo e me dá dicas de como cozinhar. Feliz aniversário, mãezinha!

Para comemorar seus 61, queria um bolo diferente. E queria testar os bicos confeiteiros que acabei de comprar. Então escolhi um naked, fiz a massa com aroma de earl Grey (meu chá predileto) e um buttercream com chocolate branco. Acho que ficou bonito!


Essa semana acabei de ler a tetralogia da Elena Ferrante, o último livro da série napolitana História da Menina Perdida. Lila e Lenu me fizeram órfã de uma narrativa rica e detalhada da amizade entre duas mulheres, meninas, com sentimentos contraditórios, descritos de maneira fiel e comovente. Não quero tentar escrever nada sobre a série, seria reduzir ou estragar algo tão certeiro e único. Seria transformar em novelesco, algo genial. Se você ainda não leu, faça o favor de ler. 

A sensação que me sobrou é de que irei adiar mais alguns dias, quem sabe semanas, até começar  a procurar algum outro livro para suprir minha leitura noturna. Quero que ela permaneça dentro de mim por mais tempo. Nem deu tempo de digerir toda história, da velocidade que eu ia adquirindo ao ler cada linha. Ia devorando, insaciável, para lidar com a crescente a ansiedade dentro do mim. Mas ao fim, como tudo que é bom, já diz o ditado, acabou. 

O que em mim de imediato ficou, é a sensação de que a gente não vira adulto, nunca. A gente finge, imita o que viu ou aprendeu de pequenos, aquilo que a gente achava que significava ser adulto. Vai sendo atropelado pelas experiências, e tentando lidar com as mazelas e novidades que a vida traz. Mas não tem nada ou passagem concreta que garante que a gente virou adulto ou amadureceu, exceto algumas fantasias que a gente vai vestindo para se parecer com um, e algumas atuações que a gente vai aperfeiçoando ao longo da vida. 

A gente supera e faz que sabe lidar com certas situações, mas as reações primárias, aquelas que saltavam da gente, quando crianças, permanecem encapsuladas, encobertas. Mas ser adulto é isso?, é não se render aos impulsos instintivos, irracionais, Lili. É, eu concordo com isso. Inclusive, é quando as barreiras que limitam a gente a viver dos impulsos cessam ou caem, seja pela velhice, pela loucura, ou pela doença, a gente volta a ser crianças, certo? Ser adulto então é ter essa casca, um molde que contém nossas expectativas básicas, mediando aquilo que vem de dentro, cru e impulsivo, mas que a gente vai abafar sempre, e fingir que elas não estão lá.

É viver a dicotomia esquizofrênica de que as reações e as dúvidas da criança já não existem, ou foram superadas, e que agora a gente sabe lidar com madurez. A gente cresce e aprende a fazer um monte de coisas complicadas. A casca envelhece, e a gente se acostuma com o que não sabe, mas finge saber. Mas bem no fundo, o mistério continua ali, intocado, escondido, dentro da gente.


IMG_2134.jpg
IMG_2115.jpg

Bolo de Earl Grey com Buttercream de Chocolate Branco

para a massa

  • 1 xícara de açúcar demerara
  • 1/2 xícara de manteiga sem sal em temperatura ambiente
  • 1/2 xícara de óleo de girassol
  • 04 ovos
  • 1/2 xícara de leite
  • 3 saquinhos de chá de earl grey
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 2 colheres de chá de fermento em pó
  • 1/2 colher de chá de sal

para o buttercream

  • 03 claras
  • 1/2 xícara de açúcar confeiteiro
  • 200g de manteiga sem sal amolecida
  • 40g de chocolate branco (utilizei lindt)

Modo de Preparo

para a massa

Aqueça o leite até ferver. Coloque os saquinhos e deixe em infusão por uns 20 minutos. Bata o açúcar, manteiga e o óleo até que vire uma pasta. Junte o leite coado aos poucos. Numa outra tigela, peneire e misture os ingrediente secos: farinha, fermento e sal. Adicione aos poucos na massa, misturando com uma colher mesmo, até que fique homogêneo. 

Coloque em duas fôrmas redondas, de fundo removível, untadas e enfarinhadas, de 15 cm de diâmetro. Divida a massa em partes iguais. Leve para assar em forno pré-aquecido à 170C graus, por uns 40 minutos, ou até que a massa esteja dourada e cozida. Deixe esfriar e desenforme. 

para o buttercream

Coloque as claras e o açúcar numa tigela e leve em banho maria, misturando sempre, até que o açúcar esteja totalmente dissolvido nas claras. Vá controlando a temperatura (não deve passar de 50C graus). Leve para a batedeira e bata até virar um merengue de picos firmes. Vá juntando aos poucos a manteiga bem amolecida. Quando estiver totalmente homogênea, junte o chocolate derretido aos pouquinhos. O creme vai ficar brilhante e aveludado.

para a montagem

Corte o bolo ao meio, em fatias iguais. Recheie com o creme, utilizando um saco confeiteiro. Monte em camadas. Leve para geladeira. Retire alguns minutos, antes de servir.