o que fazer quando não se sabe o que fazer?

o que fazer quando não se sabe o que fazer?

Já deixei claro, nos últimos posts, que venho vivendo uma fase de muitas mudanças. Nem todas para meu agrado, mas confiando sempre que, tudo o que vem, vem para o melhor. Como boa taurina, preguiçosa e entusiasta da estabilidade e do conforto, mudanças e imprevistos me fazem pirar. Me deixam extremamente insegura e angustiada. E, por mais que eu saiba que sejam fases passageiras e de adaptação, até que a resistência às novidades e ao estranhamento passem, eu fico atrapalhada com minhas emoções, rotina e trabalho.

O que fazer?

Incrivelmente, duas coisas tem acontecido, durante esse período.

  • Um é o florescimento de uma fé, desconhecida para mim, até então. Tenho orado e meditado diariamente e isso tem me dado um conforto importante para seguir dia após dia. Quando se está em silêncio e focada em si mesma, é possível escutar uma voz interna e afinar sua intuição. Perceber e guardar esses momentos de paz dentro de você, te ajudam a atravessar momentos de turbulência com menos apego ao sofrimento.
  • A segunda coisa é o aumento do fluxo criativo dentro de mim. Acho que em parte, ligado ao que escrevi no item acima. Mudanças significam deixar para trás coisas que um dia foram muito importantes para você, mas hoje não te servem mais. Isso te causa tristeza e dor em algum grau, trazendo resistência pelas mudanças. Mas uma vez que você abre mão de certas coisas, elas também abrem espaço para que novas coisas entrem em sua vida. Ou talvez, esse espaço, agora vazio, estimule sua criatividade para você iniciar novos projetos, ou descobrir coisas novas sobre você mesmo.

Por final, eu tenho me tornado mais amiga de mim mesma. Tenho sido mais compassionada e me cobrado menos por coisas que não estou sendo capaz de cumprir, como algumas demandas sociais que pouco tem a ver com meu estado de humor e emocional no momento. Isso contribui para que as coisas fiquem mais leves e a não levar tudo tão a sério.

O coração continua apertado a maior parte do tempo e a vontade é de ficar debaixo das cobertas (inclusive com a cabeça), respirando baixinho. Mas a vida continua, mesmo que nem tudo seja como a gente esperava. E você, como lida com grandes mudanças em sua vida?