Torta de Beterrabas e Cebola Roxa

Na dúvida, siga em frente. Esse tem sido meu lema. Tenho vivido de contrastes, de pensamentos bipolares, de alternativas complexas. Minhas emoções saltitando de um oposto a outro, qualquer idéia de controle se evapora em poucos segundos. Então, tenho seguido em frente, sem olhar para trás. Meu desejo é de ser uma folha de papel em branco, esperando o toque do pincel aguar em cores tão novas para mim. Um bebê sem memória, absorvendo tudo sem o menor julgamento e filtro. É dessa forma que eu gostaria de ser e sentir.

Mas ao invés disso, sinto as dores do tempo corrido, sinto o peso das lembranças vividas. Fujo de rostos conhecidos, conversas repetidas, pessoas óbvias. Tenho uma camada de filtro, e rotulo tudo aquilo que consegue chegar até mim, aquilo que, de alguma maneira, conseguiu não ser repelido pelo meu rancor. Tenho sido tão azeda que o sarcasmo cruzou comigo e preferiu desviar o olhar.  

Já em outros momentos, um entusiasmo e uma euforia tomam conta do meu ser, como se nada mais houvesse, se não a expectativa do futuro certo dentro do meu peito. Nessa hora, tudo vale, as apostas são feitas, os sonhos proferidos, as bençãos ofertadas, a conta ainda não está mesa. 

Dessa mente binária quase irracional, meu lema tem sido, não escute a dúvida que nasce da colisão das duas razões. Ande passos mais largos, não olhe para trás, qual seja a voz que te assombra no fundo. Seja uma, seja duas, mas seja mesmo a terceira, aquela que vai em frente, sem sombra de dúvidas, sem eira nem beira. Afinal, como terminei no post anterior: logo ali, a beira do precipício, vai sem medo. Então, deixa a camisa de força, por enquanto, mais um pouco, no cabide.


Lendo o livro Aos 7 e aos 40 de João Anzanello Carrascoza. Amor e sensibilidade em forma de prosa.


Me desafiei a fazer massa folhada no último final de semana. Acho que assisti umas 30 vezes o vídeo da Raíza Costa ensinando a fazer a massa com perfeição. Era um pausa, um play, farinha no teclado e manteiga na tela. Ao final, fomos recompensados com uma bela tortinha com creme e morangos no domingo.

Na segunda-feira, a saga continuou e o resultado foi mais maravilhoso ainda. Torta rústica de beterrabas e cebola roxa. Uma receita deliciosamente incrível do Projeto Banquete, para uma segunda-feira vegê especial. Confere a receita completa.

Torta de Beterraba e Cebola Roxa | Receitas originais de Dulce Delight e Projeto Banquete

para a massa folhada | receita original de Dulce Delight

  • 250g de farinha de trigo
  • 01 colher de chá de sal
  • 150g de água gelada
  • 50g de manteiga derretida
  • 175g de manteiga gelada em bloco

para o recheio | receita original Projeto Banquete

  • 01 beterraba grande
  • 01 cebola roxa grande
  • 02 dentes de alho
  • folhas de sálvia
  • sal
  • ½ xícara de creme de leite fresco
  • 02 ovos
  • azeite de oliva
  • 06 mini cebolas roxa
  • 06 mini beterrabas
  • 02 colheres de sopa de vinagre balsâmico

{ para a massa folhada } 

Para preparar a massa, nem me atrevo a explicar. Se quiser fazer a sua, ao invés de comprar massa pronta, assiste ao vídeo da Raíza, que vai te ensinar tudo com perfeição. - assista aqui

{ para o recheio }

Pique a cebola e a beterraba grandes. Refogue a cebola em bastante azeite até ficar transparente e adicione a beterraba. Junte o alho picado, e por fim, adicione o sal e as folhas de sálvia. Se necessário adicionar um pouco de água para que a beterraba cozinhe até amolecer um pouco. 

Leve tudo a um liquidificador e processe até virar uma pasta. Agregue os ovos e o creme de leite, bata bem e reservar. 

Abra a massa folhada e cortar de acordo com o tamanho da forma, eu utilizei uma de 18cm. Acomode a massa na forma, prendendo as bordas nas laterais da fôrma para ela não ceder. Faça furos no fundo da massa com um garfo. 

Levar ao forno pré aquecido a 180 graus para pré-assar a massa, de 10 a 15 minutos. Retire do forno e preencha com a pasta de beterraba. Leve para assar novamente até ficar bem firme, por uns 40 minutos. 

Corte as mini beterrabas e cebolas em 4 ou pela metade, mantendo os cabinhos da beterraba. Refogue rapidamente as mini beterrabas em azeite de oliva e depois adicione duas colheres de sopa de vinagre balsâmico. Eu utilizei uma redução de balsâmico La Tejea que comprei a pouco num boteco espanhol, mas você pode utilizar o balsâmico que queira. Na mesma frigideira, refogue as mini cebolas com cuidado para não desmanchá-las. 

Tire a massa do forno novamente e, por cima, coloque, em pé, as mini cebolas e mini beterrabas. Volte ao forno até que a massa esteja dourada, os legumes tenham soltado um líquido e o recheio esteja bem firme. 

Deixe esfriar antes de consumir.